ficções II

por J

na ficção número um
depois de eu dizer adeus
tu respira aliviado
‘ufa’
já que eu desembolei tua vida
sem maiores esforços seus
e fui embora
os brios do engano
ainda queimando a cara
tudo vira uma lembrança estranha e contrangedora
nas ruas da cidade
eu, que penso em tu, que pensa nela
achando que eu nunca saquei
e prontocabô

na ficção número dois
tu ficou puto, mas triste
tu acha melhor deixar as coisas
como estão
e agora tudo o que sobrou
são histórias imaginárias
e muitos “e se”
e dói um pouco em tu também
quando a gente se vê na rua

na ficção número três
tu me liga uns dias depois
a gente conversa horas e horas
e você reconhece que
teve tão pouco cuidado
comigo
e vamos embora cada um pro seu canto
mas pelo menos
o peito fica mais leve

na ficção número quatro
tu responde meu email
eu volto pra cidade
a gente senta numa mesa
e conversa entre copos
e talvez algo aconteça
ou não
(seria necessário outro arco de ficções
para cobrir esse encontro)

na ficção número cinco
eu dou uma segunda chance
pro moço tranquilo
que eu tirei de mim quando tu chegou
e que me disse:
fica
e dessa vez eu fico
querendo viajar no tempo, corrigir tudo
aliviada porque deu tempo
e tu vira uma nota de rodapé
amarelada
no mundo vasto
do meu coração

Anúncios