notícias do cárcere

por J

quanto mais eu limpo, mais os papéis se acumulam na pilha, e crescem, e ficam maiores. o mundo deveria ser proibido de imprimir tanta coisa. minha mãe me ajudou hoje mas em meia hora já estava tudo uma zona de novo.

encontrei notas fiscais de 95, receitas médicas e uma carta de adeus de três linhas (carta? bilhete?). eu merecia mais do que três linhas, eu acho. eu fiz um livro pra ele, um livro que pouca gente leu, e que recentemente eu reli e achei uma bela de uma merda. naturalmente. então, entre um livro adolescente de trinta páginas e um bilhete sincero de três linhas eu não poderia exatamente culpá-lo pela laconicidade. achei graça.

***

hoje senti novamente aquela dor fininha que puxa da boca do estômago e desce até quase o umbigo. fininha. gelada.

I wanted someone to enter my life like a bird that comes into a kitchen
And starts breaking things and crashes with doors and windows
Leaving chaos and destruction.
This is why I accepted her kisses as someone who has been given a leaflet at the subway.

meninos de saia estão sempre dispostos a me deixar assim, com vermes imaginários me corroendo por dentro.

***

ninguém me responde. ninguém me responde. ninguém me responde. não tem carta de aceite, nem lista, nem nada. mas pela primeira vez em muito, muito tempo, não me parece tão aterrador

estar

aqui.

Anúncios