Afonso e o Chico

por J

Publico na íntegra a crítica ácida do meu grande amigo, Afonso Scliar, ao grande cantor, Chico Buarque:

Detalhe irônico do show do Chico Buarque: Uma das músicas que nosso caríssimo baluarte da Música P[-aga-]opular Brasileira canta é um rap do Criolo (que é uma música que o Criolo fez em homenagem [?] ao Chico, “Cálice”), “brand new” rapper queridinho da “nova” cena “nova” da música [do sudeste]. Já em outra música, sem destinatários ilustres e exclusivos da Biscoito Fino, “Sucrilhos”, ele manda uma mensagem lugar-comum: “calçada pra favela, avenida pra carro, céu pra avião e pro morro descaso” e ainda “cientista social, Casas Bahia e tragédia, gosta de favelado mais que Nutella”, mensagem que lembra a “Gente Humilde” do álbum ’70 do Chico. Pra que toda essa mensagem cientista-social-favelado-nutella? Pela ironia de se pagar ingressos mais caros que o valor máximo da Bolsa Família (R$ 306) para assistir um show de um artista dito popular num espaço elitista onde volta e meia surgem músicas sobre as classes C pra baixo. Acho que teria sido mais lógico o show ter sido em Dandara, não?

Ouch.

Anúncios